quinta-feira, 26 de julho de 2012

Patati Patatá x Quintal da Cultura





A programação infantil transmitida pelos canais abertos no período da manhã nem sempre são de cunho educativo. Temos, atualmente, alguns canais que transmitem programas voltados ao público infantil, mas será que a proposta é ludico/educacional?

Me ponho a fazer uma breve análise de dois programas transmitidos no período da manhã. São Eles o Patati Patatá e o Quintal da Cultura.


Começo pelo programa do Patati Patatá produzido e transmitido pela emissora SBT no período da manhã. Trata‐se de um programa apresentado por dois palhaços bem animados que fazem algumas brincadeiras e muitas propagandas. 

Em seu programa anunciam balas, doces, brinquedos e dvds de produtos com a Marca registrada por eles. Não há como negar que esse programa crie um mercado infantil, ou seja, estão criando os consumidores mirins com as frases: "Peça para sua mamãe, para sua vovó as balas 7 belo" Ou "Peça para o papai, para o vovô do DVD do Patati Patatá"

Esse programa é amplamente difundido e apreciado pelas crianças, com cores vibrantes e a figura do palhaço que, historicamente é uma figura apreciada pelas crianças por conta da alegria, esse programa angaria milhões com a venda de produtos com a marca registrada. Estas personagens contam ainda com o Circo do Patati Patatá. Está mais do que provado que é um programa que, ao contrario de ter o caráter lúdico, tem o caráter mercadológico.

Passemos a análise do programa Quintal da Cultura produzido e transmitido pela Tv Cultura da fundação Padre Anchieta. 

Trata‐se de um programa que tem, verdadeiramente, o caráter lúdico. Não existe qualquer tipo de propaganda durante o programa, as personagens cinco pessoas e um boneco também estão caracterizadas como palhaços e uma tartaruga, com roupas coloridas em um ambiente que lembra o jardim de um quinal com brinquedos espalhados. Durante o programa as personagens promovem contação de histórias, fazem brincadeiras lúdicas com músicas e ensinam as crianças a confeccionarem brinquedos a partir de sucatas ou materiais como jornais, cola, papel colorido e tal. Percebese que o programa foi feito e pensado para promover a cultura lúdica e alargar o conhecimento do público infantil.


Uma criança que assiste ao programa Quintal da Cultura certamente irá contar o que aprendeu sobre as histórias ao pais, ou lhes mostrará o brinquedo que aprendeu a confeccionar. 


Uma criança que assiste ao programa do Patati Patatá certamente dirá aos pais: "Mãe/Pai compra as balas que falaram no programa do Patati Patatá?", ou "Compra os DVDs do Patati Patatá?"

10 comentários:

  1. Gostei do texto. Pena que meus filhos já cresceram e não vêem mais estes programas (de bebês, pai!).

    ResponderExcluir
  2. Excelente texto! Cheguei aqui através de um link da página do infância e consumismo no face. E achei, além do excelente texto, valiosas informações para a minha caminhada com minha filha em direção à inclusão. Estou te seguindo e estarei acompanhando sempre. Dá uma passada lá no meu blog: www.especialesercrianca.blogspot.com
    Beijoca,
    Jana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, querida, vou olhar seu blog também! bjs

      Excluir
  3. E com a diferença tb nos desenhos que são bem mais educativos no quintal da cultura, além de não ter nenhum tipo de propaganda, por aqui é proibido sbt e patati patata.

    ResponderExcluir
  4. Uma vez fui num evento da escola da minha rua com meu filho, pois anunciaram que seria um show de palhaços. Chegando lá era a franquia patati patata que eu nunca tinha ouvido falar. No final as crianças levavam um kit da franquia pra casa para os pais decidirem se queriam comprar, do contrário devolveriam pra escola. Fiquei com pena das crianças e de seus pais, coagidos a comprar o kit, que triste isso. Isso existe, e é o que predomina, infelizmente. Mas incentivo a quem ler esse texto e outros do movimento Infância Livre do Consumismo, compartilhar com todos os conhecidos e assim promover uma tomada de consciência e educação. Estou sempre multiplicando o que aprendo com meus alunos e amigos, assim vamos criando uma sociedade melhor, eu acredito nisso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Indico um documentário chamado ~Criança, a alma do negócio~. Acho que traduz um pouco da crueldade que é o mercado e a publicidade voltada para as crianças.

      Excluir
  5. Excelente texto!
    O que me deixa mais impressionada é que tem pais que não estão nem aí pra isso... Os filhos pedem, eles dão... a qualquer hora, em qualquer momento. Não tem o ganhar porque é seu aniversário, ganha-se porque o pequeno pediu!
    E isso me faz pensar que ainda temos muito chão pra caminhar, em relação ao meio ambiente super poluído, às comunidades de crianças em trabalhos escravo, sem infância, sem direitos... Meu Deus, que planeta vão deixar para as próximas gerações?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, sou professora, converso muito com os alunos e com os pais deles, estamos na era da informação, pra alguma coisa essa internet desenfreada tem que servir! O trabalho é de formiguinha, mas alguma coisa ele consegue mudar. bjs

      Excluir
  6. Na boa não é de hoje q existe a exploração do consumismo infantil, tenho um garoto de 4 anos e ele gosta muito de Patati e Patata e assisti um pouco o Quintal da Cultura, eu quando posso acompanho com ele o que ele assisti, e fiquei um tanto animado com o programa da cultura quando estava estreando, só que depois de alguns dias assistindo cheguei a péssima conclusão que é chato pra caramba aquele programa, fico muito triste por isso pois tive uma infância linda com os programas da cultura como: Castelo Ra-Tim-Bum, X-Tudo, Mundo de Beakman entre outros. Mesmo não gostando do programa não o proíbo de assisti-lo se quiser, sendo qualquer um dos dois, concordo que no programa do SBT existe uma propaganda excessiva só que la também existem coisas legais como brincadeiras e ensinamentos de Libras.
    Os Merchans sempre existiram seja com os discos, botas, sapatos, mochilas da Xuxa nas décadas de 80 e 90 ou nos que vemos no dias de hoje com Patati Patata, Sitio do Pica Pau Amarelo, Turma da Monica, Cartoon Network, Nickelodeon e até mesmo Disney que tem centenas de produtos licenciados.
    Acredito sim que uma criança pode se tornar consumista ou não a partir da liberdade que os pais lhe dão em poder escolher o que quiser, quando quiser, na hora que quiserem, pois por mais que uma criança lhe pedir um boneco, bola, bolsa, patinete, carro, moto, chaveiro do Patati ou da Dora a Aventureira a unica pessoa que poderá dar a ela ou não é você pai, mãe, tia, avó ou familiar desta criança pois é só você que poderá e devera encinar a ela o que vale apena comprar ou não.

    ResponderExcluir